Crianças com problemas na fala: descubra o que fazer

O início do desenvolvimento da fala é uma condição que gera ansiedade em toda a família. As mães ficam à espera do momento em que os filhos vão reproduzir as primeiras sílabas e começar a falar. Mas, e se por algum motivo essa pronúncia levar um pouco mais de tempo para acontecer? Nem sempre o atraso é sinal de problemas na fala.

Os médicos afirmam que não há idade específica para que o ser humano comece a conversar. Enquanto uma criança de 3 anos pode pronunciar um determinado número de palavras, outra da mesma idade nem sequer pode ter iniciado a sua articulação verbal.

Essa disparidade faz parte do desenvolvimento normal de cada indivíduo. É uma característica individual e não determina a ocorrência de um transtorno de linguagem. Se o seu filho ainda não desenvolveu totalmente a habilidade da comunicação e fala algumas palavras erradas, lembre-se que apresentar dificuldades é uma situação que condiz com a normalidade.

Para lhe ajudar a compreender os problemas na fala que podem afetar as crianças, neste post vamos explicar todos os detalhes. Continue a leitura e descubra quando há necessidade de buscar ajuda profissional!

Fala

O que são os problemas na fala?

Os problemas na fala são caracterizados por um obstáculo que impede a comunicação. Eles podem ser identificados por uma dificuldade na pronúncia ou até mesmo no atraso do seu desenvolvimento, apontados como “fala tardia”.

Falar é uma atividade complexa. Nós demoramos alguns anos até conseguir dominar completamente esse mecanismo devido às características orgânicas e psíquicas que estão envolvidas no processo.

A troca de fonemas — vogais ou consoantes — é um dos exemplos de problemas na fala. Algumas crianças apresentam desvio fonológico e não conseguem pronunciar corretamente as letras RR, trocando-as pelo L, ou fazem a troca da letra V pelo F. Nesse caso, também pode haver dificuldades na emissão de alguns sons, como os desempenhados pelas letras C e G.

A disfluência verbal, popularmente conhecida como gagueira, é mais um transtorno que integra o conjunto de problemas na fala e pode ser apresentado por qualquer pessoa.

Se o grau de disfluência for baixo, essa ocorrência pode ser até mesmo despercebida. Quando se trata de crianças, há casos normais que fazem parte do processo de aprendizado do vocabulário. Com o passar do tempo, essa repetição desaparece sozinha.

Os casos considerados dentro da normalidade — até os 4 anos — acontecem devido a sucessão rápida de pensamentos para a formulação de uma frase. Como os pequenos têm certa dificuldade para articular as palavras, eles podem apresentar um pouco de gagueira. Porém, isso não significa que essa paragem estará presente pelo resto da vida.

Quais são as principais causas dos distúrbios de linguagem?

Os problemas da fala que impedem a produção de sons acertadamente ou atrasam o seu desenvolvimento são provocados por fatores neurológicos, musculares ou fonológicos.

Se as áreas motoras do sistema nervoso da criança tiverem alguma lesão, ela terá dificuldade na produção dos sons. Em casos de deformação na musculatura facial ou em outras estruturas envolvidas, como a língua, palato e lábios, o mesmo problema poderá ser observado.

Já os desvios fonológicos não têm nenhuma causa congênita. Mesmo que a criança apresente regularidade no sistema neurológico e nas estruturas essenciais para a fala, haverá um impasse para a pronúncia de alguns sons elementares.

As naturezas sociais e psíquicas também podem influenciar no aparecimento dos problemas na fala. Se o seu filho está inserido em um ambiente em que as pessoas conversam pouco, possivelmente, ele não terá estímulos para falar.

A timidez também é outro aspecto que provoca impedimento para a comunicação, principalmente na presença de outras pessoas.

De que maneira as dificuldades de pronúncia se manifestam?

Os pais são as pessoas que passam mais tempo com as crianças. Portanto, é importante observar se há algum sinal de problemas na fala. Veja quais são as principais indicativos de disfunções:

Crianças de até 3 anos

  • atraso para falar as primeiras sílabas depois do primeiro ano de vida;

  • uso exclusivo de gestos para se comunicar após 18 meses;

  • fala limitada aos 2 anos;

  • incapacidade de combinar palavras aos 2 anos e meio;

  • dificuldades para imitar ou repetir as palavras ditas pelos pais.

Crianças com 4 anos ou mais

  • vocabulário escasso;

  • fala errônea e de difícil compreensão;

  • dificuldade para aprender palavras novas;

  • incapacidade para formular frases, apresentando desconexão e embaraço para conjugar verbos;

  • incapacidade para relatar fatos, contar histórias ou manter uma conversa;

  • alterações na fluência da fala.

Quais são as disfunções de fala mais comuns?

Existem alguns distúrbios que impedem o desenvolvimento da fala infantil. Saiba quais são os principais:

Afasia

A afasia compreende a perda ou alteração da fala e se manifesta na dificuldade de compreensão verbal ou escrita. Essa alteração se relaciona ao vocabulário insuficiente e a escolha das palavras erradas.

Disartria

Esse problema na fala é caracterizado pela dificuldade na articulação e de pronúncia das palavras.

Disfonia

Os indivíduos que são acometidas pela disfonia possuem um enfraquecimento da voz e têm dificuldade para emitir sons (rouquidão).

Dislalia

A dislalia produz dificuldades de pronúncia. A criança portadora desse problema troca palavras por outras similares, faz pronúncias erradas, omite, substitui ou acrescenta sons nas palavras proferidas.

Terapia da fala

Como os problemas na fala podem ser tratados?

O fonoaudiólogo é o profissional capacitado para diagnosticar e tratar os transtornos relacionados à articulação das palavras. Por meio de uma avaliação, esse especialista diagnosticará se realmente existe sintomas de algum distúrbio ou se a dificuldade apresentada está dentro do esperado para a faixa etária.

É importante ressaltar que a ansiedade dos pais pode interferir no desenvolvimento da expressão oral infantil. Antes de atestar precipitadamente a ocorrência de problemas na fala, observe se a criança consegue compreender diálogos e, ainda, se é capaz de estabelecer uma comunicação por meio de gestos e apontamentos.

Esse tipo de comportamento indica que ela está no processo de aquisição da linguagem e, logo mais, começará a reproduzir as palavras.

Bom, se você gostou deste texto, que tal acompanhar as nossas redes sociais e se manter informada sobre o universo infantil? Estamos no Facebook e no Instagram

roupas-para-meninas

2 comentários

  1. Tenho um sobrinho de 12 anos que não consegue pronunciar as letras “F” e “V” de forma alguma. Ele sempre se enrosca nessas letras e a palavra não é pronunciada da maneira correta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 + 14 =