Crianças e televisão: qual é o limite dessa relação?

A relação entre crianças e televisão é forte. O entretenimento faz parte da vida de todos nós, mas ele se torna uma grande ferramenta quando estamos tratando dos pequenos. Afinal, quais pais não usam dela para distrair as crianças enquanto realizam outras tarefas importantes em casa?

Assim como qualquer outra atividade, é importante que a TV não se torne algo pouco saudável na infância. Com limites e a programação adequada é possível fazer um melhor uso dessa relação. É importante se atentar a alguns detalhes importantes!

O post a seguir trará um conteúdo sobre como é o uso da televisão pelas crianças, quais benefícios, pontos negativos e como deve ser essa relação. Confira!

Qual é o impacto da televisão na rotina da criança?

Em algumas residências a TV é indispensável, passando quase o dia inteiro ligada. Se nessa casa há crianças, naturalmente elas consumirão o conteúdo que está sendo transmitido, especialmente aqueles que são direcionados a elas. A rotina dos pequenos passa a ter a presença constante da televisão, muitas vezes ditando até mesmo sua disponibilidade para a dedicação a outras coisas.

É inegável o valor da programação televisiva no cotidiano da sociedade. Além da função de entreter, há também a relevância de se manter informado pelos telejornais. Aos pequenos há a mesma necessidade de diversão. Desenhos, programas infantis e muitos outros conteúdos podem ser de grande valor, seja apenas para distrair, ou até mesmo para educar e ensinar.

Mas qual é o ponto negativo de tudo isso? A televisão não pode ser o centro das atividades da criança. É importante ter o cuidado para que ela não tome mais tempo do que deveria, fazendo com que outras importantes tarefas e práticas sejam deixadas de lado em prol da TV.

roupa-para-meninas

É preciso definir limites de tempo

Não é difícil que uma criança se torne refém da televisão. Especialmente aos mais novos, são diversas as atrações que os seduzem, o que pode fazer com que eles passem horas em frente à tela sem o menor problema. Os pais devem intervir para que isso não vire um hábito, tendo em vista que algumas consequências desse exagero podem não ser positivas.

Uma pesquisa realizada pela universidade de Otago, na Nova Zelândia, apontou que crianças que passam mais de 2 horas por dia em frente à televisão apresentam problemas de absorção de conteúdo e de concentração na vida escolar no período do ensino médio. Dessa forma, é importante que os pequenos sejam educados com limites ainda cedo.

É fundamental definir um limite de tempo para que a criança passe assistindo televisão diariamente. Quando não há esse controle, são grandes as chances de atividades escolares, por exemplo, serem deixadas de lado, já que naturalmente podem ser menos interessantes do que o que passa na TV. Além disso, estar muito tempo em frente à tela pode causar problemas de visão, já que a exposição aos olhos é grande.

Outras atividades devem estar em pauta

Os pais devem se atentar também a outras atividades de entretenimento que podem ser feitas juntamente à televisão. É preciso estimular o exercício físico, que pode ser feito em brincadeiras a céu aberto, prática de esportes e qualquer outro tipo de atividade que estimule a movimentação corporal, tendo em vista o crescimento da obesidade infantil, que é um risco iminente quando há sedentarismo.

O estímulo intelectual também pode ser feito de outras maneiras. A leitura é fundamental para as crianças, especialmente aquelas que estão no início da sua alfabetização. Além de ajudar nesse processo, estimulam a criatividade fazendo com que os pequenos vivam experiências únicas, fruto da imaginação estimulada pelos livros. É fundamental equilibrar o tempo assistindo televisão com outras atividades mais saudáveis e estimulantes intelectualmente.

Como a televisão pode ser ferramenta educativa?

O equilíbrio é indispensável na relação entre crianças e televisão, sendo importante também pensar que, dentro desse tempo de uso, é possível fazer com que as crianças consumam conteúdo educativo e que agregue algum conhecimento, mais do que somente distrair e entreter. Com essa demanda real, é cada vez maior a procura por produtores que pensam nas necessidades de oferecer uma experiência mais enriquecedora aos pequenos.

O conteúdo educativo se apresenta às crianças principalmente por uma série de desenhos que ensinam diversas coisas importantes para a vida da criança atualmente e a longo prazo. Pontos como educação, cidadania, gentileza, respeito, conhecimentos gerais e uma série de outros temas são expostos em situações cotidianas dos personagens, em contextos simples e que as crianças podem se identificar facilmente.

A grande vantagem do aprendizado oferecido nesse tipo de conteúdo é que ele pode ocupar um tempo a mais na vida da criança. É possível ter acesso a eles em horas que, intencionalmente, a prioridade é para o entretenimento e a diversão. Sem saber e sem nenhuma responsabilidade, as crianças estarão se divertindo e ao mesmo tempo aprendendo. É justamente isso que faz esses modelos de programas fazerem tanto sucesso entre pais e filhos.

Qual a programação ideal para as crianças?

A supervisão dos pais quanto ao conteúdo assistido é fundamental. Nem sempre um desenho, só por ser infantil, pode ser o mais adequado. Pais têm diferentes conceitos quanto à educação, então é papel de cada um conhecer exatamente o que seus filhos estão assistindo. É importante sempre passar um momento vendo televisão com eles, para se certificar se o conteúdo é adequado.

Por vezes, desenhos animados contém cenas violentas e de relações interpessoais que podem não ser recomendadas para crianças ainda pequenas. Eles não são direcionados ao público infantil e por isso cabe aos pais ficarem atentos.

O ideal é pesquisar sempre os conteúdos, verificando a classificação etária e indicar rigorosamente quais programas e desenhos animados podem ser assistidos, solicitando que a televisão seja desligada ao fim de cada um deles. De uma forma geral, desenhos animados, programas educativos e qualquer outro conteúdo tranquilo pode ser perfeitamente assistido, principalmente após a avaliação prévia dos pais.

O exemplo precisa ser dado

Não é correto ensinar às crianças uma coisa e fazer o oposto. Se você ensina que há limites para o tempo de TV, é importante que também não exagere. O mesmo cuidado deve ser tomado quanto à programação. Evite assistir conteúdos impróprios na frente dos pequenos. Você pode conduzi-los a outras atividades ou optar por outro programa.

Diante dessas informações, cabe aos pais a vigilância e o cuidado para que a relação entre crianças e televisão seja a mais saudável possível. Assim uma série de problemas, a curto e longo prazo, podem ser evitados.

Você sabia que o funk é um gênero musical bastante popular e pode ser a preferência das crianças? Então veja agora qual o limite em relação a isso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × 1 =