O que fazer para controlar o ciúme entre irmãos?

Quando a família está prestes a aumentar, quem já tem filho começa a se preocupar com o ciúme entre irmãos, ou seja, com a reação que a criança mais velha poderá ter ao saber da novidade.

Muitas vezes, essa emoção começa a afetar os pequenos ainda durante a gestação do irmãozinho ou irmãzinha, só de saber que outra criança fará parte da rotina e, claro, disputará a atenção e o amor dos pais — que até então eram exclusivamente para eles.

Por isso, separamos algumas dicas práticas que podem ajudar a controlar o ciúme entre irmãos, garantindo um relacionamento mais tranquilo e leve para toda a família.

Converse com seu filho

Seu primogênito deve ser uma das primeiras pessoas a saber sobre a chegada do bebê. Além do pai, é na vida dele que essa notícia causará o maior impacto. Se souber depois de todo mundo — ou de forma indireta, pode pensar que está ficando de lado já no começo da gestação.

Tenha uma conversa esclarecedora, explicando tudo o que vai acontecer, dando atenção às emoções e às reações que a criança pode manifestar nesse momento e também nos próximos dias e meses.

Muitas vezes ela pode começar a ter comportamentos de regressão — como voltar a querer a chupeta ou perder o controle sobre o xixi — ou a chamar a atenção dos pais de diversas formas, seja com birras, seja com agressões.

Você também pode relembrar e contar para o seu filho como tudo aconteceu durante a gravidez e a chegada dele, mostrando que fez as mesmas coisas e dedicou para ele a mesma atenção que está destinando agora ao bebê.

Pegue o álbum de fotografias, mostre fotos e vídeos da sua gravidez. Relembre detalhes do enxoval e conte histórias sobre esse período.

Mostre as vantagens de ter um irmão

Ciúme entre irmãos

Ao longo da gestação, apresente para o seu filho os benefícios de ter um irmão caçula. Isso vai ajudá-lo a ver a chegada do bebê como algo bom e importante também para a vida dele.

Fale sobre o seu relacionamento com seus irmãos, sobre como a amizade entre irmãos é um laço único e especial. Explique que ter um irmão é ter um melhor amigo para a vida inteira.

Nessa fase, você também pode dar exemplos de outras crianças que seu filho(a) conhece e que já têm irmãos, ou mesmo compartilhar histórias, livros e filmes que abordam esse tipo relacionamento de uma forma positiva.

 

Permita que seu filho participe dos processos

Além de conversar com a criança sobre o novo bebê, garanta que ela esteja presente nos momentos que vão preparando a chegada do irmãozinho ou irmãzinha, como acompanhar uma ultrassonografia, ir às compras com você e escolher alguns detalhes do enxoval ou colaborar na decoração do quarto.

Isso reforça que seu filho é importante para a família e que o bebê chegará para agregar à vida de vocês — e não para separá-los. Além disso, ele poderá ir vivendo e entendendo melhor sobre cada etapa.

Muitas crianças podem pensar que vão ganhar uma companhia para brincar assim que ele nascer. Imagine a frustração ao perceber que o bebê não faz nada senão dormir, comer, chorar e querer atenção da mãe?

Deixe claro que o bebê precisará de cuidados e atenção inclusive da parte dele, já que ainda não sabe fazer diversas coisas. Explique que todos nós passamos por diversas fases na vida, e que quando somos muito pequeninos precisamos de coisas diferentes de quando já somos maiores.

Convide a criança a ter algumas responsabilidades com o bebê

como-lidar-com-ciumes-entre-irmaos

Além de integrar o seu filho aos processos e decisões durante a gestação, ele poderá se sentir importante ao assumir responsabilidades em algumas tarefas de acordo com a idade que tem.

Peça para jogar a fralda suja no lixo, observar se a criança está quietinha enquanto você faz alguma outra tarefa por perto ou até mesmo decidir qual tiara vão colocar naquele dia, se o bebê for uma menina.

No entanto, lembre-se que cuidar do recém-nascido não é responsabilidade do irmão mais velho e que ele não deve se sentir obrigado a realizar nenhuma dessas tarefas. Caso contrário, poderá associar que o irmão é chato ou que é um fardo para a vida dele, visto que os dias não são mais alegres e felizes como costumavam ser antes da gravidez da mãe.

 

Dê atenção individual para cada filho

Mesmo que você já tenha conversado com seu filho, deixando-o por dentro de tudo o que está para acontecer, é importante que você dedique algum tempo para dar atenção exclusivamente a cada uma das crianças.

Essa atitude ajudará seu filho mais velho a se sentir amado mesmo com a presença do irmão mais novo, mostrando que ele continua sendo muito importante para os pais.

Além disso, crianças em faixas etárias diferentes precisam de atividades distintas. Pode ser difícil encontrar alguma brincadeira ou momento de lazer que agrade e entretenha aos dois simultaneamente.

Nos primeiros dias, a dica é aproveitar alguns momentos, enquanto o bebê dorme, para brincar, assistir a um filme ou mesmo ler uma história com o filho mais velho.

Depois de um tempo, dedique-se a fazer também atividades externas, como ir ao cinema ou ao parquinho apenas com o primogênito. Esses momentos de qualidade vão cooperar para amenizar os ciúmes e outras emoções novas e estranhas que a criança pode estar vivendo.

Identifique comportamentos de ciúme entre irmãos

Dependendo da idade do seu filho mais velho, a manifestação de ciúme com o irmão caçula pode não ser tão clara. Para isso, observe se alguns comportamentos mudaram desde a notícia de que uma nova pessoa está prestes a fazer parte da família.

Crianças de até três anos são bem pequenas e ainda não sabem discernir bem as emoções. Por isso, provavelmente demonstrarão que estão se sentindo inseguras com a chegada de um irmão por meio do choro, de birras e momentos de dengo.

Se seu filho tem entre três e seis anos, observe se poderá ter comportamentos de regressão, como voltar a pedir chupeta mesmo após ter abandonado o hábito de usá-la.

Outro exemplo é perder o controle do xixi ou do cocô mesmo já tendo passado pelo desfralde. Ele também pode se tornar mais agressivo ou emotivo, como nos exemplos das crianças de até três anos.

Por fim, a partir de seis anos as crianças já costumam conseguir expressar verbalmente o que estão sentindo e pode ser mais fácil identificar os ciúmes.

Para isso, deixe bem claro que seu filho tem toda a liberdade de falar contigo sobre como está se sentindo. Mostre que, independentemente da emoção que ele viva, pode se abrir com você. Juntos encontrarão uma maneira de aliviar os sentimentos ruins e garantir que ele tenha certeza do quanto é amado.

Agora que você já sabe como ajudar a amenizar o ciúme entre irmãos, que tal aproveitar para compartilhar suas experiências com outras mães? Deixe um comentário contando como seu filho mais velho reagiu à chegada do bebê e qual foi o seu maior desafio nesse processo.

vestido-dama-de-honra

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × dois =