Plano de saúde para crianças: o que analisar antes de contratar?

Filhos são nosso maior tesouro e fazemos tudo para que cresçam saudáveis e felizes. Segurança, educação e saúde são alvos de nossos esforços e, quando falamos de plano de saúde para crianças, alguns aspectos devem ser analisados com cuidado.

Claro que, além de um bom atendimento em saúde, a prevenção faz parte dos cuidados. Prática de atividade física, esportes e alimentação saudável são componentes com os quais toda mãe se preocupa para assegurar crescimento com qualidade de vida.

Vamos abordar neste post o que é preciso considerar antes de contratar um plano de saúde para suas crianças e cuidados que farão a diferença quando esse serviço se fizer necessário. Confira!

Como avaliar o plano de saúde?

A contratação de serviços trata de algo intangível, que só conheceremos a qualidade depois de contratar. Por isso, os cuidados com a pesquisa da operadora e características do plano são essenciais.

O órgão responsável por regulamentar e fiscalizar as operadoras de planos de saúde é a ANS — Agência Nacional de Saúde Suplementar.

Antes de contratar, pesquise no site da ANS e veja como andam a reputação da operadora e os níveis de reclamações.

Confira os principais aspectos a serem analisados.

Modalidade do plano

Existem 4 diferentes modalidades de planos de saúde e iremos listá-las abaixo para facilitar a compreensão e decisão. 

Ambulatorial 

Essa modalidade oferece atendimento amplo em consultas, urgências e emergências, cobrindo consultas médicas de diversas especialidades em número ilimitado, tanto no ambiente do consultório quanto no atendimento ambulatorial.

Além disso, estão incluídos assistência, procedimentos de urgência e emergência em ambiente ambulatorial nas primeiras 12 horas, com todos os exames necessários, embora essa modalidade não contemple internações hospitalares.

Hospitalar

A cobertura nessa modalidade de contratação se restringe ao atendimento hospitalar, sem coberturas para consultas e exames fora desse ambiente.

Entretanto, no ambiente hospitalar, a cobertura engloba internações hospitalares sem limitações, incluindo UTI, os custos resultantes das internações e exames complementares.

Caso a internação se prolongue e demande deslocamento, este também estará coberto.

Vale reiterar que consultas e exames de rotina não são contemplados por essa modalidade de atendimento.

Hospitalar com obstetrícia

Esse plano difere do hospitalar por incluir os cuidados da gestante e do bebê durante o período pré-natal, como exames, consultas e procedimentos abrangendo a mãe e o bebê, antes do parto, acompanhamento do recém-nascido durante os primeiros 30 dias de vida da criança.

O bebê poderá ser considerado dependente da mãe sem necessidade de cumprir o período de carência dentro do período de 30 dias, ao final dos quais a criança poderá ser incluída no plano de um dos responsáveis.

Referência

Essa é a modalidade que combina os planos ambulatorial e hospitalar com obstetrícia, com abrangência completa.

No plano referência estão incluídos todos os procedimentos, consultas, exames e atendimento em nível ambulatorial e hospitalar, inclusive internações.

Em todas as modalidades listadas você deve se atentar para qual o tipo de acomodação oferecido naquele plano. Em casos de urgência ou internações, a acomodação em enfermaria ou apartamento poderá fazer grande diferença na qualidade dos serviços prestados à sua criança.

Caso a acomodação contratada não esteja disponível no momento da necessidade, o estabelecimento deverá oferecer acomodação imediatamente superior à contratada junto ao plano e a operadora deverá cobrir os custos sem qualquer ônus ao beneficiário.

Rede credenciada

Outro aspecto muito importante é conhecer quais são os hospitais, clínicas, médicos e diferentes especialidades presentes na rede credenciada da operadora.

Procure por hospitais, clínicas e profissionais que sejam referência e confira se a operadora oferece acesso a eles.

Nossas crianças dependem de uma alimentação saudável para crescer com saúde e se desenvolverem perfeitamente. Vale pesquisar também sobre o atendimento por nutricionistas e profissionais da área. 

As operadoras poderão descredenciar estabelecimentos ou profissionais, entretanto deverão comunicar à ANS e aos beneficiários com pelo menos 30 dias de antecedência ao descredenciamento.

Cobertura do plano

Depois de conhecer os tipos de planos e a rede credenciada para atendimento, é hora de buscar entender quais são as coberturas relativas a cada modalidade. Avalie com cuidado, procure saber quais são as exclusões de coberturas previstas em contrato e compare entre as operadoras que pesquisar.

A ANS determina as coberturas mínimas para cada modalidade de plano. Portanto, ao pesquisar sobre a operadora, busque conhecer também qual a cobertura mínima para o plano que melhor lhe atende.

Tempo de espera para procedimentos

Para não ser pega de surpresa em uma necessidade, saiba que existem prazos máximos para atendimento aos procedimentos. Confira no quadro abaixo quais são, de acordo com a ANS.

Tipo de atendimento

Prazo

Urgências e emergências

Imediato

Exames de análises clínicas

03 dias úteis

Consultas básicas (inclusive odontológicas)

07 dias úteis

Serviços de diagnóstico/terapia em regime ambulatorial, consultas com outras especialidades (fonoaudiólogo, psicólogo, fisioterapeuta)

10 dias úteis

Consultas com demais especialidades médicas

14 dias úteis

Procedimentos de alta complexidade e internação eletiva

21 dias úteis

Consultas de retorno

A critério do profissional responsável

Fonte: site da ANS (www.ans.gov.br)

Prazos de carência

Finalmente, mas não menos importante, na proposta da operadora deverão constar os prazos de carência para cada tipo de procedimento. Para facilitar, listamos os prazos máximos de acordo com a determinação da ANS.

  • Casos de urgência e emergência — 24 horas;
  • Partos, com exceção de prematuros e decorrentes de complicações — 300 dias;
  • Consultas, exames, internações e cirurgias — 180 dias.

Esses prazos poderão ser reduzidos por liberalidade da operadora, mas nunca poderão ser mais longos que os permitidos.

A busca por plano de saúde para crianças é tão especial quanto escolher a melhor instituição, quando chegar o momento ideal para colocar seu filho na escola.

Afinal, são tantos aspectos a serem analisados na formação dos filhos que, para tomarmos decisões com segurança e assertividade, precisamos de orientação e ajuda.

Conseguir realizar a tarefa de ser profissional competente e mãe dedicada, em uma rotina apertada e com as coisas acontecendo quase à velocidade da luz, exige planejamento e informação.

Escolher um plano de saúde para crianças é mais que a simples contratação de um serviço. É a busca de ferramentas que nos ajudem a construir o caminho da formação e desenvolvimento de nossas crianças, de maneira a nos deixar liberadas para participar de forma ativa desse processo.

Gostou de nosso post? Se tiver alguma dúvida ou sugestão, deixe seu comentário!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × cinco =